Páginas

quinta-feira, 3 de março de 2016

CPMF X FUNCIONÁRIOS COM ESTRELA DO PT NO PEITO

  CPMF X Funcionários com estrela do PT no peito 
VEJAM O ABSURDO DO GOVERNO POPULISTA DO PT.......
REPASSEM.....TODO MUNDO PRECISA SABER O MOTIVO DO PT QUERER A VOLTA DA C.P.M.F......

Na segunda feira, 19, O Globo publicou nova reportagem da série Cofres Abertos, sobre a realidade do Estado petista.

O título era Remuneração em ministérios vai até R$ 152 mil. 

Eis alguns dados: Lula acrescentou 18,3 mil funcionários à folha da União em oito anos. Em apenas quatro, Dilma enfiou mais 16,3 mil. Agora são 618 mil só na ativa: 103.313 têm cargo de chefia. 

Os títulos são qualquer coisa de fascinante. Há um que inclui 38 palavras: "chefe de divisão de Avaliação e Controle de Programas, da Coordenação dos Programas de Geração de Emprego e Renda..." e vai por aí enfileirando outras 30, com o escárnio de referir um acinte desses à "geração de emprego e renda"...

O "teto" dos salários é o da presidente, de R$ 24,3 mil. Mas a grande tribo só de caciques constituída não pelos funcionários concursados ou de carreira, mas pelos "de confiança", com estrela vermelha no peito, ganha R$ 77mil, somadas as "gratificações", que podem chegar a 37 diferentes. No fim do ano tem bônus "por desempenho". A Petrobrás, a empresa mais endividada do mundo, negou dividendos aos acionistas, mas distribuiu R$1 bilhão aos funcionários em pleno "petrolão". A Eletronorte distribuiu R$ 2,2 bilhões em "participação dos lucros", proporcionados pelo aumento médio de 29% nas contas de luz dos pobres do Brasil, entre os seus 3.400 funcionários. Houve um que embolsou R$ 152 ml.

A folha de salários da União, sem as estatais, que são 142, passará este ano de R$ 100 bilhões, 58% mais, fora inflação, do que o PT recebeu lá atrás.

Essa boa gente emite 520 novos "regulamentos" (média) todo santo dia. Existem 49.500 e tantas "áreas administrativas" divididas em 53 mil e não sei quantos "núcleos responsáveis por politicas publicas"! Qualquer decisão sobre água tem de passar pela aprovação de 134 órgãos diferentes. Uma sobre saúde pública pode envolver 1.385 "instâncias de decisão". Na educação podem ser 1036. Na segurança pública, 2375! E para trabalhar no inferno que isso cria? Quanto vale a venda de indulgências?


Essa conversa da CPMF como única alternativa para a salvação da pátria em face da "incompressibilidade" dos gastos públicos a favor dos pobres não duraria 10 segundos se fatos como esses fossem sistematicamente divulgados pela imprensa, mas ela é em sua grande maioria de esquerda e omite esses dados, a própria matéria do O Globo, apesar do seu próprio "furo" a primeira página do jornal não trazia qualquer chamada e nem as televisões da casa o repercutiram.


Resumo da coluna do jornalista Fernão Lara Mesquita, no jornal O Estado de São Paulo , de 23/10.

Nenhum comentário:

Postar um comentário