Páginas

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

COMO A LEITURA IMPACTA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM DA CRIANÇA.

Como a leitura impacta o desenvolvimento da linguagem das crianças

G1 - 28/10/2016


A construção das habilidades de linguagem começa ainda na primeira infância, quando as conexões cerebrais são mais propícias ao aprendizado. Por isso, os adultos que leem para seus filhos têm papel fundamental no desenvolvimento destas capacidades. A leitura de histórias contribui para a ampliação do vocabulário, para a formação da consciência fonológica e para a identificação de letras e palavras.
Há evidências de que, desde os 14 meses, os bebês cujos pais ou responsáveis realizam atividades de leitura já têm melhor desenvolvimento da linguagem. Desde a 25ª semana na barriga, ele já é capaz de ouvir e diferenciar sons.
Desde que nascem, e especialmente dos 0 aos 6 anos, as crianças se colocam em posição de escuta, e os adultos conseguem perceber que elas estão construindo significados e adquirindo habilidades relacionadas à linguagem.
“O bebê consegue identificar que existe um ritmo diferente quando você faz uma leitura, quando você canta. Por isso que se fala em como os bebês reconhecem cantigas que as mães cantam quando ele está na barriga. Desde aí, a leitura já é importante”, afirma Cláudia Sintoni, coordenadora de Mobilização Social da Fundação Itaú Social.
Aprendizado
Além disso, os benefícios de ler para as crianças vão acompanhá-las durante a futura vida escolar, com possível melhora nas habilidades de leitura e de compreensão de texto no ensino fundamental. A criança identifica o significado das palavras, e aos poucos amplia seu vocabulário. Por isso, o processo de leitura parental tem impacto na alfabetização.
“É importante que isso seja constante, que a gente realmente crie o hábito de ler. Quando a criança entra na escola, muitos pais param um pouco com essa rotina de ler em casa, e pode ser que ela perca aquilo que ela adquiriu. Existem estudos que falam que você precisa ter uma constância, uma permanência no hábito da leitura”, explica Cláudia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário