Páginas

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

OS NOVE LIVROS QUE MUDARAM O MUNDO.

Conheça nove livros que mudaram o mundo

Universia Brasil - 08/12/2016

Que os livros fazem toda a diferença e podem marcar para sempre a vida de uma pessoa isso todo mundo sábado. Porém, muito mais do que um passatempo, os livros são registros, manifestos e meios de nos fazer enxergar uma realidade que não vivemos, abrindo os olhos paras injustiças e preconceitos. A World Economic Forum fez uma lista com nove livros que mudaram o mundo, confira:

A Cabana do Pai Tomás (Uncle Tom’s Cabin) – Harriet Beecher Stowe

Escrito em 1862, esse foi o segundo best-seller mais vendido do século XIX, ficando atrás apenas da Bíblia. Narrando a história do Pai Tomás, um escravo afro-americano, a obra conseguiu chamar a atenção para os horrores da escravidão, implementando a causa abolicionista.

A Selva (The Jungle) – Upton Sinclair

Escrito em 1906, o livro explora as condições de trabalho, a extrema pobreza e a exploração vivida por trabalhadores imigrantes nas indústrias de carne de Chicago. Ele foi considerado um dos romances políticos americanos mais influenciadores do último século, levando até mesmo a uma investigação nas indústrias, resultando na Lei de Inspeção de Carne.

1984 – George Orwell

Famoso em todo o mundo, 1984 traz uma sociedade distópica que vive sob um regime totalitário. Foi graças a ele que termos como “big brother” sugiram. Orwell também inspirou outros clássicos como Laranja Mecânica, de Anthony Buregess e se tornou referência mundial.

O Sol é Para Todos (To Kill a Mocking Bird) – Harper Lee

Abordando a desigualdade social na Alabama dos anos 1930, a obra de Lee – lançada em 1960 – tornou-se um sucesso imenso, sendo, inclusive, adaptada para o cinema por Robert Mulligan em 1963. Continuando a fazer sucesso até os dias de hoje, o livro ainda é referência quando se trata de racismo e se por no lugar do outro.

As Vinhas da Ira (The Grapes of Wrath) – John Steinbeck

Narrando a jornada de uma família miserável de Oklahoma pela Rota 66, o clássico de crônicas de 1939 foi um sucesso instantâneo em sua época ao retratar a era da Depressão e a pobreza que forçou milhares de pessoas a migrarem para a Califórnia em busca de trabalho. O livro chegou a ser banido de lugares como Kern County e até mesmo a própria Califórnia.

Nada de Novo no Front (All Quiet on the Western Front) – Erich Maria Remarque

Nada de Novo no Front, de 1930, é nada menos do que um dos livros anti-guerra mais conhecidos do mundo. Ele narra a Primeira Guerra Mundial sob a perspectiva de um jovem soldado alemão. Foi um dos livros banidos e queimados publicamente pelos nazistas.

O Mundo se Despedaça (Things Fall Apart) – Chinua Achebe

Escrito em 1958, esse romance conta a história de uma sociedade tribal que está ruindo conforme chegam os missionários cristãos. Uma das obras mais conhecidas do escritor nigeriano Chinua Achebe, o livro vendeu mais de dez milhões de cópias e ainda é uma ferramenta de estudo sobre o impacto do colonialismo na cultura africana e em sua identidade.

The Ragged Trousered Philanthropists – Robert Tressel

Talvez o menos conhecido da lista entre os brasileiros, o livro de Robert Tressell, escrito em 1914, a obra socialista fala sobre um grupo de homens honestos que são explorados por capitalistas e foi baseada no sofrimento das classes trabalhadoras durante o período Eduardiano na Inglaterra. Ele foi fundamental para iniciar a reforma social.

Amada – Toni Morrison

O livro, que levou, segundo a própria autora, três anos para começar a ser escrito, foi responsável por dar um Prêmio Pulitzer a Morrison. Publicada em 1987, a obra conta a história de uma escrava fugitiva que para não abrir mão de seus filhos para seus “donos”, corta a garganta da filha. Ele é considerado o melhor livro de ficção americana nos últimos 25 anos pelo New York Times.

Nenhum comentário:

Postar um comentário