Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

PROJETO LEVA ATIVIDADES PARA BEBÊS E BUSCA FORMAR FUTUROS LEITORES.

Projeto leva atividade para bebês e busca formar futuros leitores

G1 - 22/01/2017
A leitura é um hábito que deve começar desde a infância, quanto mais cedo a criança tiver incentivo para gostar de livros, mais ela vai gostar de literatura. E é possível entrar no mundo dos livros antes mesmo de aprender a ler. Em Auriflama (SP), mamães e papais já estão aprendendo a estimular os filhos para que eles se tornem futuros leitores.
A cidade é uma das dez selecionadas no Estado para participar de um projeto do governo com empresas privadas e instituições sem fins lucrativos.
O desafio do Higor Advenssude, gestor do projeto, é conquistar a atenção dos pequenos. Até parecia uma missão impossível, mas aos poucos, eles foram se interessando pela história do sítio que tinha um montão de animais diferentes. “O propósito do projeto é fazer elas ficarem a vontade, tem hora que terá atenção de um, mas não de outro. A ideia é aconteceu com bebês a partir de seis meses”, afirma Higor.
O trabalho faz parte de um programa que incentiva a leitura para bebês e crianças de até 4 anos. Apenas 10 cidades do Estado foram selecionadas por meio de um edital lançado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente.
Em Auriflama, o projeto recebeu o nome de “Lê no Ninho”. Veio para mostrar que quando o assunto é viajar pelos vários mundos que as histórias nos permitem, não existe idade. “Sou apaixonada por leitura e quero que ela goste também, desde 8 ou 9 anos eu ia para a biblioteca e acho que ela tem de seguir o mesmo caminho”, afirma a administradora Giovanna Amadeu, que é mãe da Bianca.
Os encontros devem ser feitos sempre com a presença dos pais ou algum responsável pela criança para motivar que esses momentos ocorram em casa também. A Taína de Souza Eugênio, mãe do pequeno Miguel, de um ano, diz que em casa, ele adora ouvir histórias de bichos. Ela já percebeu que a leitura tem ajudado no desenvolvimento do filho e, por isso, aprovou a iniciativa do projeto. “Ele já sabe bastante cores, os bichos, forma frases, canta músicas, é um momento dele e meu, uma interação maravilhosa”, diz Taína.
Assista à reportagem neste link.

Nenhum comentário:

Postar um comentário