Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

PERDOAR.

PERDOAR.

perdoar
Alguém pode tê-lo magoado quinze anos atrás e você ainda não se conformou quanto ao que aquela pessoa lhe fez. Mas se for honesto consigo mesmo, talvez tenha magoado alguém quinze anos atrás e nem prestou atenção nisso nos últimos catorze anos. Somos mestres em ver o que os outros nos fizeram, mas nem tanto ao olhar o que talvez tenhamos feito aos outros.” (…) “…o perdão significa estender sua percepção do real até o Real (…). E, quando vê a Realidade, em si mesmo e nos outros, você ganha poder para evocá-la. Somos curados quando nos sentimos perdoados. Saramos na presença da compaixão. Se você realmente quer que alguém mude, o milagre está na habilidade de ver o quão perfeito ele(a) é.
A sombra não vai embora quando é atacada, mas promove a cura quando é perdoada. Não removemos nossa máscara sombria na presença de alguém que nos culpa, mas na presença de alguém que diz: ‘Eu sei que isso não é você’. Milagrosamente saramos na presença de alguém que acredita em nossa luz, mesmo quando estamos perdidos em nossa escuridão. E, quando aprendemos a ver os outros na luz de seu verdadeiro ser, estando ou não sob essa luz, temos o poder de realizar esse milagre por eles.
O perdão é uma ação, mas ele surge de uma postura. Pode ser difícil perdoar alguém cujo comportamento nos magoou, a menos que tenhamos baseado nossas percepções em um esforço constante para enxergar além da escuridão da personalidade.”
Marianne Williamson in livro  “O Efeito Sombra” (Lua de Papel, 2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário