Páginas

sábado, 17 de setembro de 2016

IDEIAS DE UNIVERSITÁRIOS AMAZONENSES SÃO PREMIADAS NOS ESTADOS UNIDOS.

Ideias de universitários amazonenses são premiadas nos Estados Unidos

A Crítica - 21/08/2016

Imagine um “uber” do ensino onde quem precisa aprender consegue se conectar com quem pode ensinar – um monitor, um universitário ou mesmo um professor. Ou ainda um quiz educacional on line para crianças e adolescentes cuja pontuação permite descontos e benefícios em lojas parceiras. E se para ajudar a diminuir o analfabetismo houvesse um aplicativo que, de forma lúdica, oferecesse um aprendizado ilustrado e interativo de livros? Sim, estas ideias existem e foram premiadas em uma competição de empreendedorismo na Califórnia (EUA). Todas são de universitários amazonenses.

Os projetos citados ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente, em um universo de seis ideias relacionadas à Educação, que foram desenvolvidas no Vale do Silício por alunos do programa Academic Awards, do grupo DeVry. Ao todo, 29 estudantes do Brasil participaram de uma imersão, durante uma semana, em empresas como Google e Intel, além de assistirem palestras e realizarem projetos de empreendedorismo no setor educacional. Do Amazonas, três estudantes foram selecionados, cujos projetos alcançaram as premiações máximas.

“Minha ideia foi facilitar a vida de quem quer aprender e ampliar a o universo de explicações que ele pode ter”, explica o recém-graduado em psicologia, Cássio Peres Fernandes, um dos autores da ideia do ‘uber educacional’. A plataforma seria vantajosa ainda para quem precisa melhorar sua didática ou simplesmente para quem quiser contribuir com o conhecimento que possui.

Projeto baseado na sociedade colaborativa

O projeto baseia-se no conceito de sociedade colaborativa cuja participação é cada vez mais valiosa dentro de um currículo no atual mercado de trabalho. “A ideia veio da contribuição de cada um do grupo que observou como poderíamos fazer com que os alunos buscassem aprendessem mais tendo um benefício prático em troca”, afirmou Igor Cansanção Pereira, recém-formado em direito e um dos idealizadores do quiz interativo.

Experiência permitiu ampliar horizontes

Para a estudante de direito da Faculdade DeVry/ Martha Falcão, Letícia Sant’Anna Xavier, 22, a experiência permitiu ampliar horizontes e convergir ideias. “Para desenvolver nosso projeto, fomos buscar qual era o maior problema educacional do Brasil e chegamos até o analfabetismo e o analfabetismo funcional, cujas maiores causas são a dificuldade de acesso aos livros e a falta de bibliotecas nas escolas”, explicou. “Foi aí que criamos esse aplicativo que funciona como uma biblioteca interativa”, afirmou.

Premiação resultou na viagem

A viagem, ocorrida no final do mês de julho, é oferecida como prêmio aos melhores alunos das Instituições de Ensino Superior (IES) que integram o grupo DeVry e que possuem engajamento em projetos sociais de voluntariado. O primeiro e segundo lugares foram convidados a dar continuidade ao projeto por meio do Centro de Empreendedorismo e Internacionalização da DeVry Brasil (CEI), um núcleo de experimentação formado por um conjunto de células empreendedoras, geridas pelos próprios alunos das IES que compõem o grupo. O objetivo é propor ações de consultoria e empreendedorismo para empresas, organizações governamentais e não-governamentais, além de desenvolver uma mentalidade crítica e empreendedora nos alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário