Páginas

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

A ESCOLA VAI AO CINEMA.

Cinema agora faz parte do currículo de escolas infantis da Argentina

Ana Beatriz Rosa - Brasil Post - 20/09/2016

Escola Vai Ao Cinema.

Esse é o nome do novo programa de educação do país hermano que muita gente invejaria e que é inspirado em uma política semelhante da França. Agora, os filmes fazem parte do currículo da educação infantil do país.

O projeto é resultado de um acordo feito entre o presidente francês, François Hollande, durante sua visita à Argentina e que teve o aval do INCAA Film, o instituto de cinema do país, da agência de filme CNC, da França, e do Instituto Francês.

A ideia é fazer um esforço para aumentar as audiências nos cinemas locais e incentivar o mercado de filmes argentino.

Especialistas franceses visitaram Buenos Aires e se reuniram com os profissionais argentinos para estudar uma forma viável de replicar o programa francês de sucesso École au Cinema.

Agora, alunos de sete entre 24 províncias argentinas serão levados às salas de cinema para assistir às obras nacionais e terão aulas sobre o histórico e a crítica da produção do país, de acordo com informações da Variety.

“As crianças vão muito pouco ao cinema, e, do que viram, poucos são os filmes argentinos. E os filmes que se assistem são normalmente vistos on-line”, argumentou Alejandro Calcetta, presidente da INCAA. “Nós fizemos um programa de longo prazo que esperamos intensificar ao longo do tempo para que se torne parte da política do governo.”

A expectativa dos envolvidos é que o impacto da ação seja tão positivo quanto foi na França – lá, o programa nas escolas foi lançado em 1989 e hoje o país tem um dos maiores mercados nacionais de qualquer cinema europeu, de acordo com estatísticas da CNC.

“O trabalho tem que ser agora na distribuição e exibição. Se nós só produzirmos, mas não mostrarmos os nossos filmes, seremos um cemitério cinema”, argumentou Calcetta.

Um comentário:

  1. Se bem entendi, o motivo principal é econômico e financeiro, por consequência terão que assistir aos filmes nacionais (argentinos). Parece que a preocupação cultural poderá acontecer por acaso.

    ResponderExcluir